clubpradedeue
OPINAR COM SABEDORIA É DEMONSTRAR O SEU CONHECIMENTO.
F ELI Z
AN IVE R
SÁRI O
feliz aniversário

Um pouco antes desta criança vir ao mundo, DEUS disse a ela você irá para a Terra e fará a diferença, talvez não ao mundo e sim as pessoas a sua volta. A cada ano que você completar na Terra, será uma nova chance de fazer a diferença. Se você não fizer, terá um novo ano para tentar, não desista do seu objetivo mesmo que você não saiba ainda.

CLUBPRADEDEU

deseja muitas felicidades à todos que comemoram mais um aniversário, PARA VOCÊ o melhor dia de todos.

PARABÉNS PARA VOCÊ NESTA DATA QUERIDA....



Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:





PARCEIROS

VISITAS
Contador de visitas
Quarta-Feira, dia 31 de agosto de 2011

Mudanças no clima também afetam a saúde mental
Eventos climáticos extremos causam estresse, angústia e ansiedade, segundo estudo

Estresse nos adultos, angústia nas crianças: as mudanças climáticas também podem afetar a saúde mental das pessoas, alerta um estudo publicado nesta segunda-feira (29) por um instituto de pesquisas australiano, para o qual este tema ainda é muito pouco estudado.

Mudanças no clima Getty Images

- Os danos causados pelas mudanças climáticas não são só físicos. O passado recente mostra que os eventos climáticos extremos trazem também sérios riscos para a saúde pública, inclusive a saúde mental e o bem-estar das comunidades.

Ao comparar fenômenos climáticos, como secas e inundações observados nos últimos anos em algumas regiões da Austrália, o estudo do Instituto do Clima constata que "a comoção e o sofrimento provocados por um evento extremo pode persistir durante anos".

Uma parte significativa das comunidades atingidas por episódios como esses - uma pessoa em cada cinco - vai sofrer os efeitos do estresse, de danos emocionais e desespero, estimou o Instituto do Clima.

Segundo o organismo, o abuso de álcool pode ocorrer após eventos climáticos extremos e alguns estudos estabelecem inclusive um vínculo entre ondas de calor, secas e taxas de suicídio mais elevadas.

As crianças parecem particularmente vulneráveis à ansiedade e à insegurança geradas pela incapacidade dos adultos de lutar contra o desequilíbrio climático.

Embora haja vários estudos sobre os efeitos das mudanças climáticas em termos econômicos, existe uma lacuna sobre as "consequências das mudanças climáticas para o bem-estar e a saúde humana", constatou Tony McMichael, professor de saúde pública da Universidade Nacional Australiana.

- Esse é um ponto cego sério, limita nossa visão de futuros possíveis e da necessidade de uma ação eficaz e urgente.

Segundo ele, o estudo "vai nos ajudar a compreender a 'face humana' das mudanças climáticas".

Copyright AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados

mais informações no site http://noticias.r7.com/saude/noticias/mudancas-no-clima-tambem-afetam-a-saude-mental-20110830.html
Terça-Feira, dia 30 de agosto de 2011

Ainda em obras, novo 'World Trade Center' terá memorial para vítimas
Memorial e Museu 11 de Setembro será aberto nos 10 anos da tragédia.
Mais alta que Torres Gêmeas, Freedom Tower será inaugurada em 2013.

O administrador de empresas brasileiro Ivan Kyrillos Fairbanks Barbosa trabalhava no escritório da corretora de valores Cantor Fitzgerald, no 105º andar da torre norte do World Trade Center, quando ela foi atingida pela primeira das aeronaves seqüestradas por terroristas da al-Qaeda às 8h46 de 11 de setembro de 2001. A história dele, assim como a das quase 3 mil vítimas dos atentados, será preservada no memorial e museu que será inaugurado no próximo dia 11, durante a cerimônia que marcará os 10 anos da tragédia.

Resultado de uma seleção aberta em 2003 que incluiu mais de 5.200 projetos de 63 países, o Memorial e Museu Nacional 11 de Setembro é parte do complexo que está sendo erguido no Marco Zero, como ficou conhecido o local após o atentado. A primeira das cinco torres em construção, chamada de Freedom Tower, ainda mais alta que as Torres Gêmeas, será inaugurada em 2013.

A ideia, de acordo com o presidente do Memorial, Joe Daniels, é de que seja não apenas um local para lembrar a tragédia, mas também “o espírito de união e solidariedade” que se seguiram aos atentados e que “ainda pode ser visto no grande apoio que a organização recebeu de patrocinadores de 50 estados e 28 países”. “Uma ligação que está acima de política, raça, classe econômica e fronteiras geográficas”, diz em mensagem no site da instituição.

Novo World Trade Center VALE ESTE (Foto: Editoria de Arte / G1)

Imagens dos rostos das quase 3 mil vítimas dos ataques ocupará uma grande parede do museu, que também exibirá relatos de parentes e objetos pessoais doados pelos familiares. Além dos mortos nas duas torres, a lista inclui ainda os que perderam a vída nos voos que caíram sobre o Pentágono, no estado da Pensilvânia, além de seis vítimas de outro atentado a bomba ao World Trade Center, em 1993.

Do lado externo, dois imensos espelhos d’água ocupam agora o mesmo perímetro onde estavam as Torres Gêmeas, alimentadas por uma queda d’água em fluxo contínuo. A intenção, segundo os responsáveis pela obra, é que os dois espaços abertos sejam uma visão constante da ausência. No parapeito, vazados em placas de bronze, estarão os nomes de cada um dos mortos no maior ataque terrorista da história dos Estados Unidos.

Mais de 400 árvores foram plantadas na Praça do Memorial, cuja ideia é que se torne um espaço de convivência dos novaiorquinos na região do Distrito Financeiro. Todo o projeto paisagístico está construído sobre a área ocupada por memorial e museu, que se espalha em pavimentos subterrâneos a mais de 20 metros de profundidade. Ele está interligado ao metrô e outros equipamentos urbanos.

Doações

No site da instituição (www.911memorial.org), é possível agendar uma visita à mostra a partir da abertura (o ingresso é gratuito, mas é sugerida uma doação), conhecer os principais doadores, colaborar com a memorabilia da mostra e até mesmo se tornar um voluntário.

Por uma câmera instalada no alto de um dos edifícios, é possível acompanhar o andamento das obras dos prédios. Recém-inaugurado, o “Memorial Guide”, aplicativo do memorial para smartphones e tablets, também pode ser baixado gratuitamente no site.

mais informações no site:http://g1.globo.com/11-de-setembro/noticia/2011/08/ainda-em-obras-novo-world-trade-center-tera-memorial-para-vitimas.html
Segunda-Feira, dia 29 de agosto de 2011

Laboratórios encontram molécula para prevenir AVC
Estudo está na última fase antes da comercialização do remédio que promete salvar vidas

Os laboratórios americanos Bristol-Myers Squibb (BMS) e Pfizer divulgaram neste domingo (28) resultados promissores de um vasto estudo sobre uma nova molécula que poderá reduzir a frequência dos acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Esse estudo de fase III (a última antes de solicitar a comercialização do medicamento) foi feito com 18.201 pacientes, e demonstrou a superioridade do apixaban (nome comercial: Eliquis) sobre o warfarin - o tratamento de referência - nos pacientes que sofrem de fibrilação arterial, asseguraram os laboratórios.

Para esse tipo de pacientes, o apixaban é o primeiro anticoagulante que reduz "significativamente" os riscos de morte, afirmaram os dois gigantes em comunicado.

Os pacientes que tomam apixaban apresentam uma probabilidade inferior a 21% de padecer de um acidente vascular cerebral em relação aos pacientes tratados com warfarin, assim como 31% menos probabilidades de padecer de uma hemorragia importante e 11% de morrer.

Os resultados foram apresentados neste domingo durante o Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia em Paris e publicados no jornal especializado New England Journal of Medicine.

O estudo, realizado em 1.034 hospitais de 39 países, foi coordenado pelo Duke Clinical Research Institute (Carolina do norte, sul dos Estados Unidos) e pelo Uppsala Clinical Research Institute (Suécia), informaram BMS e Pfizer.

O risco de ter um AVC é uma crescente preocupação gerada pelo envelhecimento da população.

Segundo os autores do estudo, 5 milhões de americanos e 6 milhões de habitantes da União Europeia sofrem de fibrilação arterial, a forma mais comum de perturbação do ritmo cardíaco, o que os coloca na categoria de risco de sofrer AVC.

A confirmação do potencial da nova molécula seria uma boa notícia para a Pfizer e BMS, que precisam enfrentar o avanço dos genéricos no mercado de medicamentos.

Copyright AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados

mais informações no site http://noticias.r7.com/saude/noticias/laboratorios-encontram-molecula-para-prevenir-avc-20110828.html
Domingo, dia 28 de agosto de 2011

Google TV será lançado na Europa no início de 2012
Navegador permite que usuários acessem conteúdos da internet e da televisão

O Google lançará seu serviço de TV na Europa no início do ano que vem, afirmou o presidente do Conselho de Administração da empresa, Eric Schmidt, nesta sexta-feira (26).

O Google TV, que permite que usuários acessem conteúdos da internet e da televisão por meio de um navegador, foi lançado nos Estados Unidos em outubro, mas dividiu a opinião de quem o experimentou e foi rapidamente bloqueado nas redes de três das maiores emissoras dos Estados Unidos.

Grande parte da indústria televisiva, como a de notícias e a de telecomunicações, vê o Google de forma suspeita e o acusa de roubar sua receita de publicidade sem contribuir para o custo de produzir a programação.

Schmidt procurou aplacar tais temores da elite das emissoras da Grã-Bretanha em um pronunciamento no festival televisivo de Edimburgo, na primeira vez em que um executivo fora do setor foi convidado para a palestra.

- Algumas pessoas nos EUA temiam que quiséssemos competir com emissoras ou criadores de conteúdo. Na verdade, nosso interesse é o oposto. Esperamos apoiar a indústria produtora de conteúdo ao disponibilizar uma plataforma aberta para que a próxima geração de TVs evolua, do mesmo jeito que o Android é uma plataforma aberta para a próxima geração de aparelhos móveis.

A ideia é lançar no início de 2012.

- Esperamos que o Google TV seja lançado na Europa no início do ano que vem, e claro que a Grã-Bretanha estará entre as maiores prioridades.

O Google tem ambições no setor televisivo há tempos, esperando ampliar seu negócio de anúncios online, que trouxe R$ 45 bilhões para a companhia no ano passado.

Até o momento, o Google teve pouco sucesso, apesar de possuir o site mais popular do mundo em vídeos, o YouTube.

Na semana passada, porém, o acordo do Google para comprar a Motorola Mobility por R$ 20 bilhões deu à empresa a maior fabricante de set top boxes (conversor) que distribui o conteúdo de muitas das maiores companhias de TV a cabo dos EUA.

Copyright Thomson Reuters 2011

mais informações no site http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/google-tv-sera-lancado-na-europa-no-inicio-de-2012-20110827.html
Sábado, dia 27 de agosto de 2011

Furacão Irene se move para o norte, diz centro
Furacão vem perdendo força ao se aproximar da costa dos EUA, diz NHC.
Efeitos de tempestade tropical são sentidos no estado da Carolina do Norte.

O furacão Irene está se movendo em direção norte-nordeste, enquanto os efeitos de uma tempestade tropical já podem ser sentidos a sudeste do estado da Carolina do Norte, diz o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês).

Classificado na categoria 2, segundo o NHC, tem perdido força durante sua aproximação à costa leste norte-americana.

Às 20h locais, o furacão estava a cerca de 425 km a sudeste de Cape Lookout, na Carolina do Norte, com ventos de até 160 km/h.

"O centro do furacão vai se aproximar da costa da Carolina do Norte esta noite e passar próximo à costa no sábado", diz o último relatório do NHC. No domingo, segundo o centro, o fenômeno deve atingir o estado da Nova Inglaterra.

Morador se prepara para a chegada do furacão Irene (Foto: AP)

A população de Nova York aguarda a chegada do furacão Irene, que pode alcançar a cidade neste final de semana e ser classificado como o mais intenso da história das medições do Centro Nacional de Furacões, ligado ao Serviço Climático dos Estados Unidos.

Segundo o instituto, o Irene alcançou nesta sexta-feira (26) o nível 3 na escala Saffir-Simpson, com ventos a uma velocidade de 170 km/h, e já possui a mesma categoria do Katrina - o furacão que devastou Nova Orleans em 2005, com 1.700 mortos.

Na madrugada deste sábado, o Irene alcança a região onde está situada a cidade de Nova York possivelmente como uma tempestade de velocidade média de 250 km/h, e ser categorizado como de nível 5, o máximo na escala.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/furacao-irene-se-move-para-o-norte-diz-centro.html
Sexta-Feira, dia 26 de agosto de 2011

Cientistas descobrem mutação genética responsável por miomas
Tumores benignos são importante causa de infertilidade

Cientistas finlandeses e suecos descobriram a mutação genética que causa os miomas uterinos, tumores benignos que afetam 60% das mulheres na faixa dos 45 anos, o que consideraram um grande passo para um futuro tratamento.

- Trata-se de um grande passo para compreender por que se formam estes fibromas, e embora ainda seja muito cedo para desenvolver tratamentos específicos, esperamos que este seja o princípio dessa viagem, afirmou o professor Lauri Aaltonen da Universidade de Helsinque, diretor da pesquisa publicada nesta quinta-feira na revista "Science".

Os fibromas ou miomas uterinos estão por trás da maioria das operações de histerectomía (retirada do útero que às vezes vem acompanhada da de ovários) em mulheres a partir dos 45 anos.

Embora sejam tumores benignos, aproximadamente metade dos casos causam dor abdominal e um sangramento anormal, e são uma importante causa de infertilidade.

Os pesquisadores da Universidade de Helsinque e do Instituto Karolinska de Estocolmo, estudaram a estrutura genética dos fibromas e determinaram a sequência de mais de 20 mil genes humanos em uma série de 18 tumores.

O estudo feito em cerca de 200 fibromas, revelou mutações no gene MED12 em até 70% dos tumores analisados.

O fato de que um número tão elevado de miomas mostre estas mutações alimenta as esperanças de que no futuro possam ser desenvolvidos tratamentos específicos com base nestes resultados, concluiu o estudo.

"Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."

mais informações no site http://noticias.r7.com/saude/noticias/cientistas-descobrem-mutacao-genetica-responsavel-por-miomas-20110825.html
Quinta, dia 25 de agosto de 2011

Apple obtém liminar na Europa que proíbe venda de 3 celulares Samsung
Empresas travam disputa por patentes de smartphones e tablets.
Decisão entra em vigor em 50 dias, e fabricante coreana pode recorrer.

A Apple conseguiu uma liminar em um tribunal holandês nesta quarta-feira para proibir a Samsung Electronics de comercializar três de seus modelos de smartphones em alguns países europeus, sob alegação de violação de patentes.

3 celulares Samsung Samsung Galaxy S II, um dos celulares proibidos na Europa
(Foto: Truth Leem/Reuters)

Apple e Samsung estão envolvidas em uma árdua disputa de patentes nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia, enquanto disputam a liderança do mercado de celulares inteligentes, posição que a Nokia perdeu no segundo trimestre depois de uma década.

Após a Apple alegar que a Samsung violou três de suas patentes, o tribunal decidiu que os celulares Samsung modelos Galaxy S, S II e Ace violavam uma patente da empresa norte-americana. A patente se aplica à ferramenta de visualização de fotos utilizada em alguns dos celulares da Samsung, segundo o tribunal.

"Não é coincidência que os mais recentes produtos da Samsung se pareçam muito com o iPhone e o iPad, da forma do hardware à interface, e até mesmo a embalagem," afirmou a Apple em comunicado. Um advogado da Samsung na Holanda preferiu não comentar.

O tribunal recusou as demais alegações da Apple, afirmando não haver violações de duas outras patentes da empresa.

A liminar se aplica à Holanda e a outros países europeus onde a patente esteja registrada, e passará a vigorar 50 dias após a Samsung receber a decisão formalmente --ou seja, não antes de 13 de outubro--, informou um porta-voz do tribunal de Haia.

A Samsung afirmou que a decisão não deve afetar as vendas em outros mercados europeus além da Holanda.

"Com respeito à única violação que a decisão reconhece, tomaremos todas as medidas possíveis, o que inclui o recurso à Justiça, a fim de garantir que a disponibilidade de nossos smartphones Galaxy para consumidores holandeses não seja prejudicada", afirmou a companhia sul-coreana em comunicado.

mais informações no site http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/apple-obtem-liminar-que-proibe-venda-de-tres-celulares-samsung.html
Quarta, dia 24 de agosto de 2011

Terremoto nos EUA provoca danos na Catedral Nacional de Washington
Torre central sofreu danos menores, e três estruturas do topo ruíram.
Tremor, sentido também em NY e outros locais, não deixou feridos.

O forte terremoto que atingiu os EUA na tarde desta terça-feira (23) provocou danos na Catedral Nacional de Washington, prédio mais alto da capital norte-americana, segundo um porta-voz da Igreja Episcopal.

O tremor, de magnitude 5,8 segundo o Serviço Geológico dos EUA, ocorreu no estado de Virgínia e foi sentido em vários pontos do nordeste americano e até no Canadá. Não há relatos sobre vítimas.

Catedral Nacional de Washington Torre à esquerda na catedral em Washington perdeu a ponta (Foto: AP)

Três pináculos da torre central da igreja -um prédio em estilo gótico- caíram, e um quarto estava em risco, disse o porta-voz Richard Weinberg.

A torre, que tem altura equivalente a 30 andares, também sofreu danos estruturais menores.

Ninguém se machucou.

A catedral é costumeiramente usada para funerais e cerimônias fúnebres de presidentes americanos, assim como para celebrações nas posses presidenciais.

Ela foi fechada ao público para inspeção.

Também houve danos no prédio da Embaixada do Equador, segundo os bombeiros.

mapa terremoto mapa terremoto eua versao 3 (Foto: Arte G1)

O abalo ocorreu às 13h51 locais, 14h51 de Brasília, e também foi sentido em outros locais da Costa Leste dos EUA, como Boston e a cidade de Nova York, onde prédios, inclusive o da prefeitura, também foram esvaziados.

O epicentro do tremor foi localizado entre as cidades de Charlottesville e Richmond, e próximo da localidade de Mineral, a uma profundidade de 1 quilômetro, considerada bastante rasa, segundo a agência americana que monitora tremores.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/terremoto-nos-eua-provoca-danos-na-catedral-nacional-de-washington.html
Terça, dia 23 de agosto de 2011

Cientista norte-americano e artista holandesa criam 'pele' à prova de bala
Células humanas e seda especial foram usados na confecção.
Material resistiu a disparos com balas de calibre 22.

Um cientista da Universidade Estadual de Utah, nos Estados Unidos, com a ajuda de uma artista holandesa, criou uma mistura de seda com pele humana capaz de resistir ao disparo de balas.

pele a prova de bala 'Pele' artificial com seda aguenta disparos de balas com calibre 22.
(Foto: Jalila Essaidi / AP Photo)

Randy Lewis forneceu fios fornecidos por bichos-de-seda geneticamente manipulados a Jalila Essaidi, que confeccionou a 'superpele' usando também células de pele humana. Os animais foram alterados para produzir a seda típica de teias de aranhas, que é mais resistente.

Após testes com projéteis de calibre 22, o material se mostrou resistente aos disparos e não se rompeu, ainda que as balas tenham penetrado em parte das camadas da 'pele'.

Lewis acredita que a seda produzida por aranhas possa ajudar cirurgiões a curar ferimentos graves e criar tendões e ligamentos artificiais no futuro. Durante outro estudo, ele já havia aplicado genes de aranhas em cabras para obter um leite carregado com largas quantidades da proteína responsável pela produção da seda.

pele a prova de bala Jalila com uma arma usada durante os testes com a 'pele'.
(Foto: Jalila Essaidi / AP Photo)
mais informações no site:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/cientista-norte-americano-e-artista-holandesa-criam-pele-prova-de-bala.html
Segunda, dia 22 de agosto de 2011

Médicos descobrem mecanismo de defesa contra infecções hospitalares
Cientistas dos EUA estudaram forma de defesa contra a bactéria 'C. difficile'.
Substâncias geradas por células intestinais podem impedir dano de bactéria.

Pesquisadores de um grupo de universidades norte-americanas descobriu um método usado por células do intestino como defesa contra a bactéria Clostridium difficile, um dos micro-organismos mais comuns responsáveis por causar infecções hospitalares. O estudo foi divulgado na versão online da revista científica "Nature Medicine".

O organismo de apenas uma célula produz duas toxinas poderosas e é resistente a antibióticos. A bactéria pode gerar desde diarreias até inflamações no intestino que podem levar à morte. As toxinas destroem a estrutura das células do corpo, mas para isso elas precisam atravessar a membrana.

Por serem moléculas grandes, as toxinas precisam ser "divididas" em pedaços menores para poder penetrar na célula. Os pesquisadores, liderados por Tor Savidge, da Universidade de Texas, apostaram que o segredo está em impedir que a toxina se divida e atravesse a membrana protetora.

Durante o estudo, os cientistas usaram tubos de ensaio, culturas de células e modelos animais (ratos) e contaram também com simulações de interações entre as moléculas - feitas no computador.

Após os experimentos, os norte-americanos descobriram que a combinação de dois compostos conhecidos como s-nitrosoglutationa (GSNO, na sigla em inglês) e o hexafosfato de inositol (InsP6) - ambos produzidos pelas células do intestino - podem ser eficientes para evitar os danos causados pela C. difficile.

Para os especialistas, 1% de todos os pacientes de hospital desenvolvem infecções causadas pela C. difficile. Os tratamentos convencionais permitem que o micro-organismo continue a se reproduzir e ainda por cima destrói as bactérias que vivem em harmonia com o intestino dos humanos.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/medicos-descobrem-mecanismo-de-defesa-contra-infeccoes-hospitalares.html
Domingo, dia 21 de agosto de 2011

Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2

Estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition relaciona o consumo de carne vermelha processada - salsichas, hambúrgueres costelas de porco, entre outros - ao diabetes tipo 2.

Carne vermelha diabetes tipo 2 Os pesquisadores ainda investigam o porquê o alimento aumenta o risco da doença
Foto: Getty Images

Pesquisadores da Universidade de Harvard analisaram dados de 200 mil homens e mulheres. Eles também fizeram uma avaliação mais ampla, que incluiu dados de outros estudos publicados anteriormente, num total de 442.101 participantes, 28.228 dos quais desenvolveram diabetes tipo 2 durante o período da pesquisa.

Após o ajuste para fatores de risco que contribuem para a doença, como idade, peso, hábitos de exercício físico, tabagismo, predisposições genéticas e outros fatores dietéticos, os pesquisadores descobriram uma forte associação entre comer carne vermelha processada e o risco de diabetes tipo 2.

Entre as descobertas:

- Cada porção de carne processada, incluindo salsichas, bacon, salame e outros frios, representou um aumento de 51% no risco de diabetes
- A porção de carne vermelha, como hambúrguer, bife de porco ou cordeiro, foi associada a um aumento de 19% no risco de diabetes
- Substituir uma porção de carnes vermelhas ou processadas por opções saudáveis, como nozes, cereais integrais e com baixo teor de gordura, foi responsável por uma redução de 16% a 35% no risco de diabetes

Os pesquisadores ainda não têm certeza do motivo pelo qual a carne vermelha pode contribuir para o risco de diabetes, mas o autor da pesquisa, Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia em Harvard, acredita que a grande quantidade de ferro em carnes vermelhas poderia ser responsável.

A doença

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, o tipo 2 da doença possui um fator hereditário maior e relação com obesidade e sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores sejam obesos. A doença costuma atingir pessoas acima de 40 anos.

O diabetes tipo 2 se caracteriza pela produção contínua de insulina pelo pâncreas. Entretanto, as células musculares e adiposas não são capazes de absorver a substância. Com isso, as células não conseguem metabolizar a glicose na corrente sanguínea.

O diabetes tipo 2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode ser tratado com dieta e atividades físicas. Em casos mais graves, a doença é tratada com medicamentos orais e insulina.

mais informações no site http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5305611-EI16560,00-Carne+vermelha+pode+aumentar+risco+de+diabetes+tipo.html
Sábado, dia 20 de agosto de 2011

Gordura no ovário dificulta gravidez de mulheres acima do peso
Embriões expostos a ácidos gordurosos têm menor atividade metabólica

A exposição de ovários a níveis altos de ácidos gordurosos comumente encontrados em obesas e diabéticas pode prejudicar o desenvolvimento do embrião, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira (18) conduzido por cientistas da Bélgica, Reino Unido e Espanha.

A descoberta dá maior sustentação a recomendação médica de emagrecer feita para mulheres que querem ter bebês.

A pesquisa foi feita com ovários de vacas. Porém, o coordenador do estudo, o belga Jo Leroy, da universidade de Antwerp, disse que as descobertas podem explicar porque mulheres gordas e que sofrem de diabetes podem ter mais dificuldade de conceber.

– Nas vacas nós podemos induzir problemas metabólicos para induzir problemas de fertilidade e qualidade de ovário. Por essa razão, os ovários bovinos são um modelo interessantes para pesquisa de reprodução humana.

Os pesquisadores concluíram que quando embriões de gado eram expostos a altos níveis de ácidos gordurosos eles apresentavam menor atividade metabólica, menor consumo de oxigênio, entre outras alterações que podem comprometer a gestação.

mais informações no site http://noticias.r7.com/saude/noticias/gordura-no-ovario-dificulta-gravidez-de-mulheres-acima-do-peso-20110819.html
Sexta, dia 19 de agosto de 2011

Cientistas descobrem gene relacionado ao surgimento do cânce
Células com mutação no gene STAG2 têm maior risco de anomalia.
Descoberta vale para cânceres no cérebro, na pele e nos ossos.

Cientistas encontraram um gene cuja ausência provoca a aneuploidia – uma anomalia ligada ao surgimento o câncer. Essa anomalia consiste na mudança do número normal de cromossomos no núcleo de algumas células. A não ser nos casos em que o indivíduo tem alguma síndrome específica, as células humanas têm 46 cromossomos cada – exceto espermatozoides e óvulos, que têm 23.

A pesquisa publicada pela revista Science detectou que 20% das amostras de câncer no cérebro (glioblastoma multiforme), na pele (melanoma maligno) e nos ossos (sarcoma de Ewing) não produziam a proteína STAG2, por consequência de alguma mutação num gene com o mesmo nome.

Núcleo de célula cancerosa Núcleo de célula cancerosa, sem o STAG2 (Foto: Science / AAAS)Núcleo de célula cancerosa, sem o STAG2
(Foto: Science / AAAS)

Durante a divisão celular, esse gene é responsável pela separação de cromossomos repetidos. Dessa forma, a ausência do gene aumenta as chances de que as células resultantes da divisão tenham um número irregular de cromossomos. Essas células têm potencial para desenvolver o câncer.

“Há tempos, os cientistas têm buscado a base genética para a aneuploidia nas células cancerosas, e nosso estudo traz uma percepção substancialmente nova para esse processo”, afirmou Todd Waldman, um dos cientistas envolvidos na pesquisa.

“Nos cânceres que estudamos, mutações no STAG2 parecem ser o primeiro passo para a transformação de uma célula normal numa célula cancerosa”, prosseguiu. “Agora, estamos vendo se o STAG2 pode sofrer mutações na mama, no colo, no pulmão e em outros cânceres comuns nos seres humanos”.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/cientistas-descobrem-gene-relacionado-ao-surgimento-do-cancer.html
Quinta, dia 18 de agosto de 2011

População mundial vai superar 7 bilhões de habitantes em 2011
A África é o continente onde o crescimento continuará em ascenção

A população mundial superará a barreira dos 7 bilhões de pessoas em 2011, sendo a África o continente que mais cresce, segundo estudo bianual que será publicado esta quinta-feira (18) pelo Instituto Francês de Estudos Demográficos (Ined).

Segundo o relatório, a população mundial levou 12 anos para chegar aos 7 bilhões, depois de superar os 6 bilhões em 1999.

De acordo com as projeções do Ined, a Terra terá 8 bilhões de pessoas em 2025.

Este ano, o crescimento se estabilizará durante um século, situando-se entre 9 e 10 bilhões de pessoas, segundo o Ined - que faz seus estudos em paralelo aos da ONU, o Banco Mundial e outros institutos nacionais.

Em 2011, o crescimento demográfico mundial cairá 1,1% em 2011, visto que contrasta com o aumento de 2% alcançados há 50 anos, segundo o estudo.

A desaceleração do crescimento responde à diminuição da taxa de fecundidade mundial, que caiu a uma média de 2,5 anos por mulher contra cinco filhos em 1950.

O Ined destaca as enormes diferenças entre alguns países, como por exemplo no Níger (sete filhos por mulher) frente a Taiwan (com taxa de 0,9).

A África é o continente onde o crescimento demográfico continuará em clara ascenção, principalmente na zona subsaariana, assim como uma parte da península Arábica e as regiões que vão do Afeganistão ao norte da Índia.

A população africana poderia quadruplicar em um século, segundo o Ined, passando de 800 milhões de pessoas no ano 2000 para 3,6 bilhões em 2100, apesar da alta mortalidade causada pela Aids.

"Em menos de um século, uma em cada três pessoas viverá na África, contra uma em cada sete hoje em dia", explicou à AFP o investigador Gilles Pison, autor do estudo.

Atualmente, os países mais populosos do mundo são China (1,33 bilhão), Índia (1,17 bilhão), Estados Unidos (306,8 milhões), Indonésia (243,3 milhões), Brasil (191,5 milhões), Paquistão (180,8 milhões) e Nigéria (162,3 milhões).

Estes países representam mais da metade da população mundial.

Em menos de 10 anos, a Índia se tornará o país com mais habitantes da Terra, com um crescimento anual de 28 milhões de pessoas, superando a China, que aumenta anualmente 16,3 milhões de pessoas.

Segundo o estudo, a classificação dos países mais populosos mudará pouco em 2050: a Índia terá 1,69 bilhão de habitantes, à frente da China (1,31 bilhão), Nigéria (433 milhões) e Estados Unidos (423 milhões).

O Paquistão se situará na quinta posição, seguido da Indonésia, enquanto Bangladesh alcançará o sétimo lugar, desbancando o Brasil.

A União Europeia tem atualmente 502,2 milhões de habitantes, mas registrará um leve crescimento até 2050, quando o Ined prevê que alcance os 513 milhões.

A população da Espanha, com 46,2 milhões de pessoas, praticamente não crescerá até a metade do século XXI, quando chegar aos 49 milhões.

A América Latina sofrerá um crescimento importante até 2050, passando de 596 milhões de habitantes a 746 milhões de pessoas.

Em 40 anos, o México será o país que terá o maior crescimento - à frente do Brasil -, passando de 114,8 milhões de pessoas para 144 milhões. Será seguido de Argentina (de 40,5 para 58 milhões), Venezuela (de 29,3 a 42 milhões), Guatemala (de 14,7 a 27 milhões) e Bolívia (de 10,1 a 17 milhões).

Por outro lado, o Japão é o país do mundo com maior número de pessoas idosas - 23% da população têm 65 anos ou mais -, à frente da Alemanha (21%).

O país asiático também é aquele com maior expectativa de vida, 83 anos, enquanto a média mundial é de 70 anos.

A expectativa de vida na União Europeia é de 80 anos, enquanto Afeganistão e Zimbábue têm as mais baixas, com 44 e 46 anos, respectivemente.

Copyright AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados

mais informações no site http://noticias.r7.com/internacional/noticias/populacao-mundial-vai-superar-7-bilhoes-de-habitantes-em-2011-20110817.html
Quarta, dia 17 de agosto de 2011

Dez anos após o 11 de Setembro, quem ganhou?

WASHINGTON, EUA, 16 Ago 2011 (AFP) -Dez anos após os atentados de 11 de Setembro, os Estados Unidos ainda lutam com as consequências, enfrentando duas guerras muito caras sem perder a ilusão de ser uma superpotência inatacável.

Bin Laden foi finalmente morto em maio passado, mas o balanço ainda é muito pesado para a América.

Cerca de 100.000 soldados americanos ainda estão no Afeganistão; 7.500 militares americanos e soldados dos países aliados morreram nesta guerra ou no Iraque, dois conflitos financiados com créditos que fizeram explodir a dívida americana.

Bin Laden ganhou, afinal, seu combate contra a América? Os atentados do 11 de Setembro, diabolicamente simples em sua execução, puseram fim a um século de hegemonia americana?

No curto prazo, a resposta parece positiva.

No dia 10 de setembro de 2001, os Estados Unidos eram uma incontestável superpotência mundial. Suas finanças estavam em nível satisfatório, após anos de crescimento, com a presença do otimismo.

No dia 11 de setembro, o mundo assistiu atordoado à destruição das torres gêmeas de Manhattan e o ataque contra o Pentágono: quatro aviões desviados por 19 homens determinados, visando quase que simultaneamente os símbolos econômico, político e militar da superpotência americana (o quarto avião, dirigido para Washington, caiu num campo da Pensilvânia).

Na noite de 11 de Setembro, cerca de 3.000 pessoas morreram, e os americanos perderam o sentimento de estar em segurança em suas fronteiras.

"Isso foi uma grande vitória para Bin Laden", considerou Julian Zelizer, professor de história política da Universidade de Princeton. "Enquanto ato terrorista, ação criminosa, foi um sucesso. Isso revelou um milhão de falhas no sistema de segurança nacional, tendo sido catastrófico para o país, tanto psicologicamente quanto em termos de custo humano".

Para alguns analistas, a decisão americana de lançar, sem esperas, uma guerra contra o terrorismo acarretou consequências ainda mais nefastas que os atentados em si.

"Houve um momento, causado por uma espécie de síndrome nacional de estresse pós-traumático, no qual os Estados Unidos aceitaram todas as reações exageradas do governo Bush", explica David Rothkopf, da organização Carnegie Endowment for International Peace.

"Isso enviou uma mensagem de pânico, de reação exagerada, transigimos com nossos valores e, no final das contas, fez mais mal aos Estados Unidos do que Bin Laden", considerou. "É esse o objetivo do terrorismo: agir e esperar que isso acarrete uma resposta do inimigo, causando, finalmente, mais prejuízos do que o ato inicial".

Num discurso catártico no Congresso, George W. Bush comprometeu-se a fazer com que os terroristas nunca mais dormissem tranquilos.

Seguiram-se 10 anos do mau negócio afegão, uma invasão do Iraque que afastou Washington de seus aliados, sevícias infligidas a prisioneiros nos cárceres de Abu Ghra¯b, que degradaram a imagem dos Estados Unidos.

Os interrogadores de pessoas suspeitas de terrorismo confinavam em Guantánamo os "combatentes inimigos" com a classe política americana sem saber o que fazer, ante a violência praticada contra os princípios fundadores da Constituição.

E os bilhões de dólares da dívida acarretados pelas guerras americanas agravaram ainda mais a crise econômica.

No longo prazo, a opinião dos historiadores sobre o impacto do 11 de Setembro tornou-se mais comedida.

O sistema político democrático americano sobreviveu, mesmo se alguns acusam o Patriot Act de ter causado entraves às liberdades.

A América tornou-se, também, um país mais seguro, reforçando a segurança aérea e restruturando os serviços de informação. Complôs foram frustrados e nenhum ataque terrorista maior foi registrado em solo americano.

Dez anos após, os sonhos grandiosos de jihad internacional, acariciados por Bin Laden, não se concretizaram.

"Ele foi morto, e a Primavera árabe enviou mensagem, segundo a qual o fundamentalismo islamita não é o único desejo dos povos da região", obaserva Julian Zelizer.

E após dez anos de "guerra contra o terrorismo", a maior ameaça contra a segurança e a superpotência americana poderia, precisamente, não ser o terrorismo.

"O 11 de Setembro é um acontecimento importante, mas não esteve na origem de mudanças geopolíticas ou geoeconômicas maiores", explica David Rothkopf.

No seu entender, o crescimento econômico, diplomático e estratégico da China, da Índia ou do Brasil farão ainda mais para diminuir a potência americana do que Bin Laden.

Sem esquecer a dívida pública, o desemprego e o envelhecimento da população, outras grandes ameaças à proeminência ocidental.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/dez-anos-apos-o-11-de-setembro-quem-ganhou.html
Quinta, dia 16 de agosto de 2011

Risco de que um autista tenha irmão autista é maior do que se pensava
Nova pesquisa mostra probabilididade de 19%, contra 10% anteriores.
Segundo a equipe, este é o maior estudo feito na direção.

Uma nova pesquisa mostra que a probabilidade de que uma criança que tenha um irmão mais velho autista também desenvolva a síndrome é bem maior do que se imaginava: 18,7%, enquanto a estimativa anterior variava entre 3% e 10%.

Os pesquisadores trabalharam com 664 crianças que já tinham pelo menos um irmão autista. A idade média para o início do acompanhamento foi de oito meses. Entre os meninos, 26,2% tiveram a síndrome, e o número para as meninas foi de 9%. Nos casos em que o paciente tinha mais de um irmão com autismo, a recorrência foi de 32,2%.

O estudo publicado pela revista Pediatrics é considerado pelos autores como o mais completo já realizado com o objetivo específico de constatar o aparecimento do autismo entre irmãos. Com os novos dados, há mais uma evidência de que os fatores genéticos influenciam o desenvolvimento da síndrome.

“Pais perguntam com frequência qual é o risco de ter um segundo filho com desordens do espectro autista e, até agora, não tínhamos muita certeza da resposta”, disse Sally Ozonoff, professora da Universidade da Califórnia, em Davis, EUA, autora do estudo.

“Esse estudo mostra que irmãos mais novos de crianças com desordens do espectro autista precisam ser seguidas com muita atenção, o que exige algo a mais de que o acompanhamento normal que um pediatra costuma fazer”, concluiu a pesquisadora.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/risco-de-que-um-autista-tenha-irmao-autista-e-maior-do-que-se-pensava.html
Quinta, dia 15 de agosto de 2011

Portão de entrada de campo de refugiados é vitória para quem foge
Recepção do campo de Dadaab, no Quênia, está sempre cheia de histórias.
São vitoriosos que venceram a fome, sede e os perigos do trajeto.

Fatuma Madey Aden está há quatro dias sem comer. Ela e duas irmãs andaram por 25 dias carregando 12 crianças. O caminho da Somália até o portão de entrada de Dadaab, o maior campo de refugiados do mundo, no leste do Quênia, é descrito como um pesadelo. As crianças desmaiaram no caminho. Algumas foram até mordidas por animais selvagens, e a sede era constante. Agora, tudo o que eles querem é passar pela porta e serem registrados para poder comer.

campo de refugiados Fatuma Aden (esquerda) com uma das irmãs e as crianças na porta do campo de Dagahaley, em Dadaab (Foto: Giovana Sanchez/G1)

Com o agravamento da seca nos últimos meses no Chifre da África, a história de Fatuma tem sido a história dos pelo menos 800 refugiados que chegam todos os dias nos portões de Dadaab. Eles contam de uma Somália em guerra, corroída pela falta de chuvas, que os obrigou a fugir.

O G1 esteve em Dadaab entre os dias 1º e 3 de agosto e publica até segunda-feira (15) uma série de reportagens sobre a rotina, a estrutura e as dificuldades de se viver no acampamento.

Os portões abrem pontualmente às 8h30. Todos os dias, um homem com um autofalante anuncia aos recém-chegados a divisão das filas de acordo com o número de filhos: quem tem mais vai para a esquerda, menos para a direita. Os homens, em menor número, se alinham separadamente. Apesar da fome e do desespero de muitos ali, a fila é ordenada e não se vê tumulto ou falação.

Ao passar pela porta, os recém-chegados são cadastrados, avaliados por um médico e recebem uma cesta básica suficiente para até 21 dias – podendo ser renovada. Depois, a dificuldade é achar um teto: desde 2008, quando o campo foi declarado lotado, não há mais distribuição oficial de barracas. Cada um faz uma casa com o que encontra, de gravetos a sacos plásticos.

Conheça algumas histórias de recém-chegados a Dadaab:

Ali Mohamed Ali - 24 dias de caminhada

O homem alto e de traços fortes repete no final de todas as frases que estava faminto na Somália. Ele diz ter deixado a mulher e os seis filhos na terra natal e veio sozinho com outro filho. O motivo foi a seca, que arrasou suas plantações e matou seu rebanho. Segundo ele, os que ficaram eram muito fracos e não aguentariam a caminhada. "Mas eles podem vir a qualquer momento", diz ele, esperançoso.

Abdi Hassan - 20 dias de caminhada

Amamentando o mais novo dos cinco filhos, ela concorda em conversar com a reportagem sentada no chão. Enrolada em coloridos lenços, Abdi diz que sentiu sede, fome e muito medo dos animais selvagens no caminho. Por cerca de dez dias ela não tinha nada para comer e teve que pedir ajuda dos vizinhos.

Ao fim da entrevista com Abdi, uma multidão de crianças rodeava a repórter para observar o que provavelmente eles nunca tinham visto na vida: uma câmera fotográfica.

Hawa Ahmed - 10 dias de caminhada

Aos 50 anos, Hawa veio com um filho e com netos. Ela diz que havia conflito e guerra na cidade onde vivia. Além de brigas e fome. Não podiam viver no conflito e tiveram que fugir. O principal problema de sua caminhada foi que a comida que levavam acabou e tiveram que lutar para conseguir chegar. Metade do trajeto fizeram sem comida.

Abdi Abdullahi - três dias de caminhada, e depois uma carona

O jovem refugiado de 27 anos relembra hoje de sua caminhada. Ele tinha sete anos quando veio a Dadaab. Os pais foram mortos na Somália, e ele veio com as duas irmãs mais novas. Uma delas foi estuprada e morreu pouco depois no campo, aos 14 anos. "Foi uma jornada complicada e penosa". Ele lembra que Dadaab era muito mais pobre naquela época. "Não tinha sistema educacional, a segurança era ruim, tudo era muito pobre."

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/portao-de-entrada-de-campo-de-refugiados-e-vitoria-para-quem-foge.html
Domingo, dia 14 de agosto de 2011

Alemanha relembra 50 anos do Muro de Berlim com homenagens
Muro de Berlim Uma mulher amarra uma faixa branca nas hastes metálicas do memorial onde antes era o Muro de Berlim. A capital da Alemanha lembra hoje os 50 anos da construção que dividiu o país por 28 anos

A Alemanha comemora, neste sábado, os 50 anos desde a construção do Muro de Berlim, quando o lado leste (comunista) fechou suas fronteiras, dividindo a cidade em dois durante 28 anos e partindo famílias ao meio. A cerimônia em memória desse marco começou com a leitura dos nomes de 136 berlinenses que morreram tentando cruzar o muro.

O presidente alemão, Christian Wulff, disse que o muro é agora parte da história, e que o país está estabelecido em segurança como uma nação unificada. A construção da barreira remete aos primeiros anos da Guerra Fria, quando Berlim Ocidental era o caminho escolhido por milhares de berlinenses orientais para fugir rumo à democracia do oeste. Em resposta, autoridades da Alemanha Oriental construíram, na noite de 13 de agosto de 1961, uma muralha que rodeava totalmente o lado ocidental da cidade.

Pelas três décadas seguintes, Berlim se tornou um ponto de ebulição da Guerra Fria. E, apesar de a barreira ter sido derrubada em 1989, é considerada até hoje um símbolo de divisões econômicas na Alemanha.

Cicatrizes

O correspondente da BBC na cidade, Stephen Evans, explica que o muro teve um impacto fortíssimo na cidade, deixando alguns de seus moradores abalados pela sensação de aprisionamento. Alguns guardam as cicatrizes psciológicas até hoje.

É o caso de Gitta Heinrich, que atualmente não tem muros ao redor de sua casa. A proteção de seu terreno é feita com árvores e arbustos, em vez de concreto e pedras. Dentro de casa, ela mantém as portas entre os cômodos sempre abertas. Nas ruas, evita espaços confinados em que haja multidões.

Gitta é da pequena vila de Klein-Glicenicke, nos arredores de Berlim, por onde passou o muro, transformando o local em uma ilha da Alemanha Oriental presa dentro de Berlim Ocidental. Quando este foi derrubado, ela foi submetida a uma consulta médica, porque se sentia ansiosa e angustiada. Seu diagnóstico: "Mauerkrankheit", ou "doença do muro".

"Dia mais triste"

O prefeito dde Berlim, Klaus Wowereit, declarou que, apesar de o muro ter ficado para a história, "não devemos esquecê-lo". Em uma cerimônia em Bernauer, rua que ficou conhecida por ter sido dividida pelo muro (e que hoje abriga um memorial), ele disse que a cidade está relembrando neste sábado "seu dia mais triste na história recente". "É nossa responsabilidade comum manter vivas as memórias e passá-las adiante às próximas gerações, para manter a liberdade e a democracia e para evitar que injustiças não voltem a ocorrer."

. mais informações no site http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5295190-EI8142,00-Alemanha+relembra+anos+do+Muro+de+Berlim+com+homenagens.html
Sábado, dia 13 de agosto de 2011

Primeiro computador pessoal da IBM completa 30 anos
Em 12 de agosto de 1981, IBM divulgou o '5150 PC'.
Primeiro PC não tinha porta para disquete nem disco rígido.

Nesta sexta-feira (12) é comemorado o aniversário de 30 anos da estreia do primeiro computador pessoal. Em 12 de agosto de 1981, a IBM divulgou no hotel Waldorf Astoria, em Nova York (EUA) o famoso "5150 PC".

A versão básica do primeiro PC (personal computer), que chegou ao mercado custando US$ 1.565, dispunha de uma memória RAM de 16 kilobytes – para se ter uma ideia, o iPhone 4 tem uma capacidade 32 mil vezes superior – sem porta para disquete nem disco rígido, um preço no qual nem sequer incluía o monitor (tinha um cabo para conectá-lo à televisão), que era vendido à parte.

Em 1982, um ano depois do lançamento do PC, a Compaq (então Texas Instruments) apresentou o primeiro computador portátil, que também utilizou processadores da Intel e software da Microsoft, e que em apenas 12 meses vendeu 53 mil unidades, cada uma pesando 13 quilos. O plano de negócio da IBM estimava vendas de 240 mil exemplares de seus PC entre 1981 e 1986, mas o sucesso de seu "5150" superou as expectativas, que alcançou esse número no primeiro ano.

Primeiro computador pessoal Primeiro computador pessoal foi lançado pela IBM há 30 anos (Foto: Reprodução)Primeiro computador pessoal foi lançado
pela IBM há 30 anos (Foto: Reprodução)

Futuro

Atualmente, há cerca de um computador pessoal per capita nos EUA. No entanto, pesquisa da IDC registrou uma redução de 4,4% nas vendas de PCs no primeiro trimestre de 2011 na comparação com o mesmo período de 2010.

Em artigo publicado nesta semana no blog “Building a Smart Planet”, o diretor tecnológico da IBM para Oriente Médio e África, Mark Dean, manifestou que 30 anos após trabalhar no primeiro PC, esses aparelhos ficaram defasados.

“Estou orgulhoso que a IBM decidisse abandonar o negócio dos computadores pessoais em 2005 e vendesse nossa divisão da PC para Lenovo”, disse Dean. “Quando ajudei a projetar o PC nunca pensei que viveria o suficiente para ser testemunha de sua queda, mas apesar disso, os PCs continuarão sendo muito usados, vão seguir o mesmo caminho que a máquina de escrever e os discos de vinil”, comentou o engenheiro.

“Meu computador principal agora é um tablet”, afirmou Dean, que prevê que o futuro da tecnologia vai além dos PCs, tablets e dos smartphones. “Está ficando claro que a inovação cresce melhor não nos dispositivos, mas nos espaços sociais que há entre eles, onde as pessoas e as ideias se encontram e interagem. É aí onde a computação pode ter o impacto mais poderoso”, assegurou.

mais informações no site http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/primeiro-computador-pessoal-da-ibm-completa-30-anos.html
Sexta, dia 12 de agosto de 2011

Células de defesa geneticamente modificadas eliminam leucemia
HIV foi usado para transportar material genético para os linfócitos T.
Tratamento inédito funcionou melhor do que os cientistas esperavam.

O HIV pode se tornar o mais novo aliado da medicina na luta contra o câncer. Uma versão inerte do vírus da Aids foi usada com sucesso por cientistas norte-americanos para modificar geneticamente células de defesa do organismo e tratar pacientes com leucemia. O procedimento foi descrito nesta semana pelas revistas médicas New England Journal of Medicine e Science Translational Medicine.

O tratamento inédito consiste em retirar os linfócitos T – importantes agentes de defesa do corpo – e transferir novos genes para elas. A mudança as torna capazes de destruir as células cancerosas que causam a leucemia e, assim, fazem com que o tratamento tenha sucesso.

A transferência de genes para a célula é feita normalmente por um vírus, e é nessa fase que o HIV é usado; foi com ele que os pesquisadores da Universidade da Pensilvânia conseguiram modificar geneticamente as células de defesa.

“Dentro de três semanas, os tumores tinham sido destruídos de um modo muito mais violento do que poderíamos esperar”, reconheceu Carl June, que conduziu a pesquisa. “Funcionou muito melhor que imaginávamos”.

“Além de terem uma grande capacidade de se reproduzirem, as células T infundidas são ‘serial killers’. Em média cada uma levou à morte de milhares de células do tumor e, ao todo, destruíram pelo menos cerca de 1 kg em cada paciente”, completou o pesquisador.

A nova técnica foi aplicada em três pacientes com leucemia linfoide crônica que já não tinham muitas opções de tratamento. Sem ela, eles seriam submetidos ao transplante de medula óssea, no qual o risco de morte é de pelo menos 20% e a chance de cura não supera os 50%.

Agora, a equipe planeja usar o mesmo procedimento em tumores parecidos, como o linfoma não Hodgkin e a leucemia linfoide aguda. Eles também querem experimentar o tratamento em crianças que não reagiram bem ao tratamento convencional. No futuro, a ideia é adaptar a técnica para combater cânceres no ovário e no pâncreas.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/celulas-de-defesa-geneticamente-modificada-eliminam-leucemia.html
Quinta, dia 11 de agosto de 2011

Gravidez na adolescência é 'contagiosa' entre irmãs, aponta pesquisa
A probabilidade de adolescente ficar grávida aumenta se sua irmã mais velha também engravidou quando adolescente, diz estudo.

A gravidez na adolescência é "contagiosa" entre irmãs com idades próximas, segundo um estudo feito por pesquisadores britânicos e noruegueses.

A pesquisa, envolvendo mais de 42 mil adolescentes norueguesas, sugere que há mais probabilidade de que uma adolescente fique grávida se sua irmã mais velha tiver tido um bebê na adolescência.

O efeito é ainda maior quando as irmãs têm idades próximas e são de nível econômico mais baixo, os pesquisadores concluíram.

Segundo eles, o trabalho é relevante porque demonstra quão poderosa é a influência da família sobre o comportamento adolescente em comparação à escola e às instituições sociais.

Estudo

Os pesquisadores, da Universidade de Bristol, na Inglaterra, da Universidade de Bergen e da Norwegian School of Economics, na Noruega, analisaram dados de crianças norueguesas nascidas entre 1947 e 1958 para comparar famílias de nível sócio-econômico semelhante vivendo em diferentes regiões do país.

Já foi constatado que fatores como nível sócio-econômico e educação influenciam índices de gravidez na adolescência. O novo estudo observou o efeito específico que irmãs exercem umas sobre as outras.

"Irmãs normalmente passam mais tempo juntas do que colegas de escola ou amigas, portanto há maior probabilidade de que uma irmã seja influenciada pelo comportamento da outra", diz o estudo.

O estudo concluiu que, entre adolescentes de nível sócio-econômico baixo na Noruega, a probabilidade de uma irmã menor ficar grávida na adolescência aumenta de 20% para 40% se a irmã mais velha tiver tido um bebê quando adolescente.

A probabilidade de uma gravidez na adolescência foi reduzida entre crianças com maior escolaridade, mas o efeito foi menor do que a influência exercida pela gravidez da irmã mais velha.

Uma das pesquisadoras envolvidas, a britânica Carol Propper, da Universidade de Bristol, descreveu o fenômeno como o "efeito contagioso da maternidade na adolescência".

"Dois grupos foram particularmente vulneráveis - o das famílias de baixa renda e o das irmãs com idades próximas", disse a pesquisadora.

"Efeito irmã" e a diferença de idade

Segundo Propper, o "efeito irmã" diminui à medida que aumenta a diferença de idade, já que irmãs com idades muito diferentes estariam em "trajetórias de vida diferentes". Irmãs com idades próximas, por outro lado, tendem a frequentar o mesmo círculo social.

O estudo foi baseado em nascimentos em vez de concepções. Propper disse que uma irmã mais velha que tem um bebê pode influenciar a decisão da irmã menor de ficar com o bebê.

"O estudo diz quão importante é a família em comparação às instituições ou à obrigatoriedade de que uma criança permaneça na escola por dois anos adicionais", afirma a especialista. "Mais políticas voltadas para a diminuição da gravidez na adolescência podem ser necessárias de forma a reduzir os partos de adolescentes".

Rebecca Findlay, representante da entidade britânica Family Planning Association, que oferece aconselhamento sobre sexualidade e contracepção, disse que "a gravidez na adolescência é complicada".

"Baixos níveis sociais, econômicos e de educação têm grande impacto sobre ela, e já sabemos que ser filha de uma mãe que ficou grávida na adolescência é um dos fatores de risco que contribuem para uma gravidez na juventude".

Findlay pondera que, "embora seja difícil fazer comparações diretas entre países nesse momento, o estudo é interessante".

Jules Hillier, vice-diretor-executivo da entidade britânica Brooks, que oferece orientação sexual a jovens britânicos, disse que várias medidas precisam ser adotadas para reduzir índices de gravidez na adolescência -- entre eles, educação sexual e acesso fácil a serviços de saúde voltados à sexualidade.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/gravidez-na-adolescencia-e-contagiosa-entre-irmas-aponta-pesquisa-1.html
Quarta, dia 10 de agosto de 2011

Nagasaki lembra 66 anos da bomba atômica que matou mais de 100 mil
Cerimônia respeitou 1 minuto de silêncio em homenagem às vítimas.
Ataque nuclear matou de forma instantânea cerca de 70 mil pessoas.

A cidade de Nagasaki, no Japão, lembrou nesta terça-feira (9) o 66º aniversário do bombardeio atômico que matou mais de 100 mil pessoas. A cerimônia teve uma chamada em favor da energia renovável no lugar da nuclear e a participação, pela primeira vez, de um representante dos Estados Unidos na cerimônia.

Às 11h locais (23h02 de segunda-feira pelo horário de Brasília), o exato momento em que a bomba 'Fat Man' explodiu sobre Nagasaki, os sinos lembraram no Parque da Paz as vítimas do segundo ataque nuclear da História, que matou de forma instantânea cerca de 70 mil pessoas.

Além do encarregado de negócios da embaixada americana no Japão, James P. Zumwalt, assistiram à cerimônia o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, e representantes de outros 45 países.

Nagasaki Nagasaki lembrou os 66 anos da bomba atômica que matou mais de 100 mil pessoas.
(Foto: AP Photo/Kyodo News)

O prefeito de Nagasaki, Tomihisa Taue, se referiu durante sua Declaração pela Paz ao acidente na usina nuclear de Fukushima e manifestou sua incredulidade de ter acontecido em um país cujo compromisso é o de 'não mais hibakusha' (como são conhecidas no Japão as vítimas da bomba atômica).

"Não importa quanto tempo leve, é necessário promover o desenvolvimento das energias renováveis em lugar da energia nuclear para nos tornamos uma sociedade com uma base energética mais segura", disse Taue, à sombra da famosa estátua pela paz esculpida por Seibou Kitamura.

O prefeito também pediu aos países possuidores de armas atômicas o fim da proliferação nuclear e exortou o Governo japonês a se esforçar para promover este objetivo e aplicar medidas de alívio com relação à realidade dos sobreviventes da bomba atômica, muitos deles idosos.

O número de sobreviventes da bomba atômica reconhecidos oficialmente pela cidade era em março passado de 40.908, com uma idade média de 76,8 anos.

O primeiro-ministro do Japão defendeu, assim como há três dias na cerimônia que lembrou o bombardeio atômico de Hiroshima, a redução da dependência japonesa com relação à energia nuclear e uma investigação a fundo sobre as causas do acidente na usina de Fukushima após o terremoto de 11 de março.

Kan voltou a defender em seu discurso os três princípios não nucleares do Japão (não possuir, produzir ou introduzir armas atômicas no país), ao tempo que destacou o compromisso da nação asiática para liderar os debates globais que buscam acabar com a proliferação nuclear.

Hiroshima

O Japão lembrou no último sábado (6) as vítimas da bomba atômica que arrasou Hiroshima há 66 anos, em cerimônia que o primeiro-ministro do país, Naoto Kan, aproveitou para questionar 'o mito da segurança' da energia nuclear.

Um minuto de silêncio só rompido por várias badaladas lembrou no Parque Memorial da Paz de Hiroshima o momento em que a bomba caiu sobre a cidade e acabou de forma imediata com a vida de 120 mil de seus habitantes.

Nagasaki Bomba atômica que caiu sobre Hiroshima acabou de forma imediata com a vida de 120 mil pessoas
(Foto: Koji Sasahara / AP)
mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/nagasaki-lembra-aniversario-do-bombardeio-atomico-com-mensagem-antinuclear.html
Terça, dia 09 de agosto de 2011

Cientistas criam mosquito infértil para reduzir transmissão da malária
Alteração genética faz com que 'Anopheles gambiae' não produza esperma.
Ideia é controlar o tamanho da população do mosquito vetor da doença.

A engenharia genética pode ser uma arma contra as doenças transmitidas por insetos. Uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (8) pela revista científica “Proceedings of the National Academy of Sciences” mostrou que é possível esterilizar os mosquitos Anopheles gambiae – transmissores da malária - e soltá-los na natureza, e que isso reduziria o risco de epidemias.

A doença mata cerca de 800 mil por ano e, segundo a Organização Mundial da Saúde, uma criança africana morre por conta desse mal a cada 45 segundos.

“Na luta contra a malária, muitos esperam que a capacidade de controlar o mosquito vetor vá ser um dia uma parte chave do nosso arsenal”, disse a pesquisadora Flaminia Catternuccia, que liderou o estudo.

Os cientistas do Imperial College, de Londres, no Reino Unido, conseguiram neutralizar um gene necessário para a produção de esperma nos machos da espécie. O estudo concluiu que as fêmeas não são capazes de perceber se um macho é ou não fértil.

A fêmea do A.gambiae cruza apenas uma vez durante a vida. No ato sexual, seus ovos são fecundados; ela passa por mudanças, faz uma refeição – de sangue – e, em seguida, põe os ovos.

Segundo a pesquisa, esses hábitos não foram alterados pela esterilização dos machos. Isso significa que, pelo menos teoricamente, a alteração genética feita pelos pesquisadores vá funcionar como um método de controlar a população de mosquitos.

No ano passado, uma outra pesquisa, também britânica, conseguiu resultados semelhantes para o Aedes aegypti, que transmite a dengue.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/cientistas-criam-mosquito-infertil-para-reduzir-transmissao-da-malaria.html
Segunda, dia 08 de agosto de 2011

Aumento de obesidade pressiona governos de países emergentes
Dados inéditos da OMS confirmam que países engordam à medida que enriquecem; cúpula da ONU tratará de problema.

Governos de países emergentes estão sendo impelidos a adotar medidas para combater o avanço da obesidade, que atingiu níveis alarmantes em economias em rápido crescimento nas últimas três décadas.

obesidade pressiona governos de países emergentes Obesidade aumenta no mundo, diz Organização Mundial da Saúde.
(Foto: Getty Images / via BBC)

Dados inéditos da Organização Mundial de Saúde (OMS) obtidos com exclusividade pela BBC Brasil confirmam que, assim como o rápido crescimento do PIB (Produto Interno Bruno), o sobrepeso e a obesidade dispararam em países como China, Índia, África do Sul, Brasil e México.

Conhecidos no passado por dificuldade em alimentar suas populações, estes países hoje se debatem com problemas de natureza oposta - em um fenômeno que especialistas chamam de "dupla carga".

"A forma com que calculamos o desenvolvimento econômico é simplesmente uma medida do quanto consumimos - então o quanto mais você consume, mais rico você é... e é claro que isso é ruim para ganho de peso", disse à BBC Brasil SV Subramanian, professor de Saúde da População e Geografia da Universidade de Harvard.

No mês que vem, líderes mundiais se encontrarão na primeira cúpula de alto nível da ONU sobre doenças não-transmissíveis, que incluem obesidade, e serão exortados a adotar medidas de controle e regulamentação sobre a indústria alimentícia, assim como sistemas para identificar potenciais complicações de saúde em estágio inicial.

Epidemia de obesidade

A prevalência da obesidade aumentou em países emergentes de forma muito mais rápida que a renda, e mais rápida do que em países desenvolvidos, ao longo das três últimas décadas.

Na China, estima-se que 100 milhões de pessoas sejam obesas, comparado a 18 milhões em 2005.

No Brasil a obesidade cresce mais rapidamente entre as crianças. Cerac de 16% dos meninos e 12% das meninas com idades entre 5 e 9 anos são hoje obesas no país, quatro vezes mais do que há 20 anos.

Um em cada sete adultos mexicanos está acima do peso, proporção que fica atrás apenas dos EUA entre as principais economias do mundo.

A África do Sul, por sua vez, tem um índice de obesidade mais alto que o dos EUA - com um PIB que é um oitavo do americano.

"Vimos um aumento dramático nos níveis de obesidade em países emergentes, e este índice parece estar crescendo mais rapidamente e em meio a níveis mais baixos de PIB do que na Europa ou nos EUA há 20 ou 30 anos", disse Tim Lobstein, da Associação Internacional para o Estudo da Obesidade (Iaso).

Embora especialistas vejam uma clara relação entre o aumento da obesidade e o crescimento da riqueza, há outros fatores para o crescimento tão rápido.

O primeiro relatório da OMS sobre doenças não-transmissíveis, publicado em 2010, afirma que não apenas a obesidade, mas também outras 'epidemias' como diabetes, câncer e doenças cardiorespiratórias e cardiovasculares, estão relacionadas a mudanças da vida contemporânea.

'Doenças não-transmissíveis são causadas, em grande parte, por fatores de risco comportamentais que são relacionados a transição econômicas, urbanização rápida e estilos de vida típicos do século XXI: consumo de tabaco, dieta insalubre, atividade física insuficiente e consumo abusivo de álcool', diz o relatório.

Economia da nutrição

No caso de países emergentes, diz Tim Lobstein, a mudança mais importante é a assim chamada 'transição da nutrição', de uma dieta com alimentos básicos para uma dieta modernisada, que consiste em alimentos de nível energético muito maior.

"Isso significa menos frutas e verduras, ou menos alimentos básicos como arroz e grãos, e mais gorduras, e açúcar e óleo. Estes vêm particularmente sob a forma de fast-food, refrigerantes", diz ele.

A demanda por calorias acessíveis e produzidas em massa disparou em países emergentes, particularmente dentro das classes emergentes, que hoje podem gastar mais de sua renda em comida.

Mas o professor Subramanian afirma que a obesidade é um fenômeno que afeta principalmente as classes mais privilegiadas em países de renda baixa e média, e até em economias emergentes.

Em um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, sua equipe de pesquisadores das universidades de Harvard e Bristol pesquisaram dados de cerca de 530 mil mulheres adultas de 54 países de renda média e baixa.

Eles afirmam que, apesar de a obesidade ter aumentado na maioria dos países tanto entre os 25% mais ricos quanto entre os 25% mais pobres da população, o Índice de Massa Corporal (IMC) - medida do peso de uma pessoa que leva em conta a sua altura - aumentou mais nos setores mais ricos.

"Apesar do aumento do IMC não estar mais confinado a países de alta renda, o aumento continua concentrado entre pessoas de renda mais alta em países de renda baixa e média", diz o estudo.

A Índia é um exemplo clássico de país que combina enormes desafios na área de nutrição entre sua população mais pobre, com alguns dos piores efeitos da obesidade sentidos nas classes médias.

Apesar de ter um dos menores índices do mundo - 1% em homens e 2% em mulheres em 2008, de acordo com a OMS - a Índia tem cerca de 50 milhões de pessoas com diabetes, de acordo com a Federação Internacional de Diabetes.

O país fica atrás apenas da China (onde estima-se que 92 milhões de pessoas sofram de diabetes), mas especialistas estimam que os números da Índia sejam bastante subestimados.

Regulamentação coordenada

Tim Lobstein argumenta que o aparente paradoxo está ligado às "políticas de produção e distribuição de alimentos".

"Hoje em dia (essas políticas) são governadas por forças de mercado, e essas forças não necessariamente promovem a saúde. Elas promoverão ingredientes mais baratos e comida processada para distribuição onde houver mercado", diz ele.

"As companhias que estão saturadas no mercado em desenvolvimento examinam agora como podem entrar em economias de renda mais baixa e ainda conseguir lucro."

Quando líderes mundiais se encontrarem por dois dias na cúpula da ONU sobre doenças não-transmissíveis a partir de 19 de setembro, organizações de saúde pressionarão por regulamentações para controlar a quantidade de gordura, açúcar e sal em alimentos processados.

Entidades como a NCD Alliance também pedirão a adoção de medidas para aumentar o nível de atividades físicas, para impedir estilos de vida sedentários.

"Esperamos que a reunião da ONU aumente a visibilidade de doenças não-transmissíveis, ao mostrar que não se trata apenas de um assunto de saúde, mas envolve também a cadeia de produção alimentar", afirmou uma representante do Ministério da Saúde do Brasil, Deborah Malta, à BBC Brasil. "Precisamos de políticas públicas e regulamentações não apenas para a indústria alimentar, mas também para tabaco, álcool e um número cada vez maior de setores."

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/aumento-de-obesidade-pressiona-governos-de-paises-emergentes.html
Domingo, dia 07 de agosto de 2011

Prato e copos menores ajudam a perder peso, afirma americano
Psicólogo americano propõe mudanças simples a quem quer emagrecer.
Tirar alimentos 'perigosos' da frente e comer na cozinha são outras dicas.

Pequenas mudanças no ambiente em que se vive, como usar pratos menores e copos mais finos, podem fazer toda a diferença na hora de perder peso, segundo estudo do psicólogo especializado em consumo Brian Wansink, da Universidade Cornell, em Nova York, e autor do livro “Comer sem pensar: Por que nós comemos mais do que imaginamos”.

Prato e copos menores Pessoas que se alimentam em pratos grandes tendem a comer mais, revela pesquisa americana
(Foto: Divulgação/Brian Wansink/Cornell University)

Essas descobertas para uma vida mais saudável foram apresentadas em uma palestra na última sexta-feira (5), durante a 119ª convenção anual da Associação Americana de Psicologia, em Washington D.C.

Duas saídas simples e proveitosas, de acordo com Wansink, podem ser fazer refeições em pratos de salada em vez de pratos grandes e manter os alimentos não saudáveis fora da linha de visão em armários e geladeiras, além de colocar os mais saudáveis ao nível dos olhos.

O pesquisador recomenda, ainda, comer sempre na cozinha ou na sala de jantar, e não em frente à televisão ou ao computador.

Quem fizer comida demais deve dividir o conteúdo em duas partes e congelar a metade antes de colocá-la na mesa. E é preciso ter consciência de que a obesidade não atinge apenas quem almoça ou janta em restaurantes.

"Nossas casas estão cheias de armadilhas de comida escondidas. E essas estratégias simples têm muito mais chance de êxito do que a força de vontade isolada. É mais fácil mudar o ambiente do que a sua mente", disse Wansink, que é PhD no assunto.

"A maioria de nós está cercada de caos para se concentrar, conscientemente, em cada mordida que dá e, depois, se perguntar se está satisfeita. O segredo é mudar seu ambiente para que ele funcione a seu favor e não contra você", destacou Wansink. Todas essas mínimas alterações podem ajudar a emagrecer até um quilo por mês, conforme o estudo.

O psicólogo identificou vários mitos sobre comportamento alimentar para explicar por que os americanos, em média, estão ficando mais gordos. "As pessoas não pensam que algo tão simples como o tamanho de uma tigela pode influenciar na quantidade que alguém, mesmo com alto grau de instrução, come”, afirmou.

No entanto, vários trabalhos mostram exatamente isso, incluindo um coordenado por Wansink – e publicado em 2005 – com 168 espectadores de cinema que comiam pipoca fresca ou murcha (feita há cinco dias) de recipientes com diferentes tamanhos. Na sessão do filme “O troco”, com o ator Mel Gibson, os voluntários consumiram 45% mais pipoca fresca em embalagens extra-grandes que nas grandes. Entre os que “optaram” pela pipoca amanhecida, a ingestão foi 34% maior quando o recipiente era tamanho família.

“Eles simplesmente não percebiam que estavam fazendo isso”, disse Wansink. E a estratégia também se aplica ao que se bebe: a pesquisa revelou que as pessoas põem 37% mais líquido em copos pequenos e largos do que nos compridos e finos de mesmo volume.

Até mesmo uma tigela de cereal infantil pode ser uma armadilha, segundo o psicólogo. Um estudo apontou que crianças de pesos diferentes que receberam uma tigela de 450 gramas eram mais propensas a se servir do dobro de cereais que os pequenos com uma tigela de metade do tamanho.

Dificuldade de parar

Outro mito, de acordo com Wansink, é o de que as pessoas têm noção de quando estão cheias e acabam parando antes de comer demais. O Laboratório de Alimentos e Marcas, onde o pesquisador atua em Cornell, projetou uma “tigela sem fundo”. Eles convidaram 60 voluntários para um almoço livre e ofereceram tigelas de 620 gramas com sopa pela metade. Metade dos participantes, sem saber, recebeu tigelas que eram lentamente preenchidas com sopa, por meio de um sistema de pressão instalado embaixo da mesa.

O resultado foi que as pessoas com “tigelas sem fundo” comeram 73% mais do que aquelas com recipientes normais. Quando questionadas sobre isso, porém, disseram que não perceberam ter comido demais. "A lição é não confiar no seu estômago para lhe dizer quando você está cheio. Ele pode mentir", afirmou Wansink.

Estar consciente dessas descobertas pode ajudar a população a fazer escolhas mais saudáveis, especialmente entre os que já estão tentando comer alimentos melhores, segundo o pesquisador. Em uma pesquisa com 2.500 americanos, quatro de cada cinco disseram que estariam satisfeitos ao perder menos de 8 quilos.

mais informações no site http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/08/prato-e-copos-menores-ajudam-perder-peso-afirma-americano.html
Sábado, dia 06 de agosto de 2011

Restos de navio do século XVIII são encontrados no Marco Zero
Arqueólogos encontraram proa e peças da embarcação.
Local foi palco de atentado terrorista em 11 de setembro de 2001.

A equipe de arqueólogos que ajuda nas escavações no Marco Zero de Manhattan encontrou novos restos do navio do século XVIII achado em julho do ano passado nessa área e que representou a maior descoberta arqueológica em Nova York desde 1982.

'Encontramos uma porção da parte frontal ou proa do navio, são várias dezenas de peças de cerca de dois metros de comprimento e menos de meio metro de altura', explicou nesta sexta-feira à Agência Efe o arqueólogo Michael Pappalardo, encarregado da avaliação da descoberta.

O especialista é membro da AKRF, uma das empresas contratadas pela Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey para documentar as descobertas históricas nas obras de reconstrução no Marco Zero, onde ficavam as torres do World Trade Center.

Pappalardo, que afirmou que é 'muito pouco provável que existam mais restos do navio na região', assegurou que as novas partes descobertas estavam 'exatamente onde deveriam estar, já que se encontravam à frente dos primeiros restos encontrados no ano passado'.

Em julho de 2010, um grupo de trabalhadores do Marco Zero encontrou os primeiros restos da embarcação do século XVIII.

Segundo as análises dos restos do navio, que permaneceu durante mais de 200 anos enterrado no sul de Manhattan, se tratava de 'uma embarcação comercial, não militar, provavelmente para transportar pessoas ou bens ao longo do Rio Hudson'.

Além disso, em algum momento viajou ao Caribe, já que foram encontrados parasitas nos restos de madeira analisados que só se encontram nessas águas, revelou Pappalardo.

Os novos restos encontrados serão levados ao Centro de Conservação e Arqueologia Marítima do Texas, onde se encontram os laboratórios nos quais são analisadas as peças encontradas no ano passado e onde ficarão temporariamente até que as autoridades nova-iorquinas decidam o que fazer com elas.

Em 1982, foram encontrados os restos de uma embarcação mercante do século XVIII em obras na Water Street, também no sul de Manhattan.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/restos-de-navio-do-seculo-xviii-sao-encontrados-no-marco-zero.html
Sexta, dia 05 de agosto de 2011

Nasa lança robô para explorar Júpiter e Sistema Solar
CABO CANAVERAL, Estados Unidos (Reuters) - O foguete não tripulado Atlas 5 partiu da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral na sexta-feira, levando um robô para Júpiter a fim de investigar os detalhes da formação do Sistema Solar.

O foguete levando a espaçonave Juno, da Nasa, foi lançado às 12h25 (13h25 no horário de Brasília) no primeiro passo de uma viagem de cinco anos para percorrer 716 milhões de quilômetros e chegar ao maior planeta do Sistema Solar.

O lançamento foi adiado por quase uma hora, para que a United Launch Alliance -- a joint venture Boeing-Lockheed Martin que fabrica os foguetes Atlas e Delta para a NASA e para clientes militares e comerciais -- consertasse um problema técnico com o apoio terrestre.

Antes da chegada em julho de 2016, Juno deverá passar um ano numa órbita polar sem precedentes ao redor do planeta gigante, medindo seu conteúdo de água, mapeando seus campos magnéticos e buscando por sinais de um núcleo sólido.

Com mais do dobro da massa do que todos os planetas do sistema combinados, acredita-se que Júpiter tenha uma peça chave do quebra-cabeça de como os planetas se formaram aproximadamente 4,65 bilhões de anos atrás, com o gás e a poeira deixados depois do nascimento do Sol.

'Nós realmente buscamos a fórmula da formação dos planetas', disse o cientista chefe do Juno, Scott Bolton, do Instituto de Pesquisa do Sudoeste em San Antonio, no Texas.

'Vamos procurar os ingredientes de Júpiter obtendo água em abundância, assim como medidas muito precisas do campo gravitacional que nos ajudará a entender se há um núcleo de elementos pesados ou um núcleo de rochas no meio de Júpiter', disse ele.

As medidas ajudarão os cientistas a discriminar entre as teorias sobre como o sistema solar era e como foi criado Júpiter, que se acredita tenha sido o primeiro planeta a ser formar.

Para fazer essas observações, Juno vai se aproximar a 5 mil quilômetros das nuvens de Júpiter e será a primeira espaçonave a voar dentro dos anéis de radiação do planeta.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/nasa-lanca-robo-para-explorar-jupiter-e-sistema-solar.html
Quinta, dia 04 de agosto de 2011

Estudo diz que dietas fazem células do cérebro se canibalizarem
Pesquisa publicada na revista 'Cell Metabolism' poderia explicar por que é tão difícil manter resultados de dietas de emagrecimento.

Os cientistas acreditam que isso aconteceria porque após um período de jejum e o uso emergencial de reservas de gordura, o corpo receberia um sinal de que há uma falta de comida e faria com que as células se alimentassem delas mesmas.

Os experimentos realizados com camundongos em laboratório revelaram que o ato de 'autocanibalismo' destas células gera a liberação de ácidos graxos, que por sua vez resulta em níveis mais altos de uma substância química no cérebro (a proteína agouti, AgRP) que estimula o apetite.

Um dos responsáveis pelo estudo, o pesquisador Rajat Singh, do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, acredita que remédios que interfiram neste processo de autofagia das células do cérebro poderiam ajudar a tratar a obesidade, fazendo com que as pessoas sintam 'menos fome e queimem mais gordura'.

Segundo ele, quando a autofagia foi bloqueada nos neurônios dos camundongos, os níveis de AgRP não se elevaram em resposta à fome e os níveis de outro hormônio, o hormônio estimulante dos melanócitos, permaneceram altos. Esta alteração na química do corpo levou os camundongos a ficarem mais magros, já que eles comiam menos após um período de jejum e gastavam mais energia.

Por outro lado, Singh explicou que níveis cronicamente altos de ácidos graxos na corrente sanguínea, como acontece em pessoas com dietas ricas em gordura, podem alterar o metabolismo dos lipídios, 'criando um circulo vicioso de superalimentação e equilíbrio de energia alterado.'

O estudo também pode ajudar a explicar por que o apetite tende a diminuir com a idade, já que as células de um corpo mais idoso não conseguiriam realizar a autofagia tão bem.

mais informações no site http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/08/estudo-diz-que-dietas-fazem-celulas-do-cerebro-se-canibalizarem.html
Quarta, dia 03 de agosto de 2011

Tartaruga é lançada no mar após cirurgia para reconstruir casco
Encontrado em praia da Flórida, animal foi submetido a tratamento inédito durante um ano.

A tartaruga-marinha Andre será devolvida ao mar da Flórida, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (3), depois de ter seu casco reconstruído com tecnologias nunca utilizadas antes em animais. Andre foi encontrado por banhistas na praia de Juno, em 2010, com o casco rompido e a parte interna do corpo exposta.

tartaruga-marinha Andre, exemplar de tartaruga-marinha que foi encontrado em 2010 com casco rompido nos Estados Unidos (Foto: Loggerhead Marinelife Center/BBC)

Ele foi levado ao instituto de conservação Loggerhead Marinelife Center, onde passou por um tratamento que incluiu uma cirurgia para a recuperação dos órgãos internos e a aplicação de um tecido sintético para proteger o organismo após a cirurgia.

Recuperado dos ferimentos, o animal recebeu aplicações ortodônticas no casco, para garantir que o tecido se reconstruiria corretamente. "Precisávamos de algo para criar tensão em algumas áreas da carapaça e movimento em outras", disse a veterinária Nancy Metee, que cuidou de Andre.

tartaruga-marinha1 O animal durante cirurgia de reparação do casco (Foto: Loggerhead Marinelife Center/BBC)

"A Ortodontia faz isso no crânio humano, então pensei que as aplicações pudessem funcionar no casco da tartaruga". Durante um ano de tratamento, os funcionários do centro Loggerhead registraram o progresso de Andre em seu site.

Mais de 200 pessoas em todo o mundo fizeram doações para o tratamento da tartaruga e acompanhavam sua recuperação por uma câmera instalada em cima de seu tanque. O animal chegou a receber cartões desejando melhoras pelo correio.

tartaruga-marinha2 A tartaruga-marinha após cirurgia. Biólogos vão devolver exemplar ao mar nesta quarta-feira (3), nos Estados Unidos (Foto: Loggerhead Marinelife Center/BBC)

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/tartaruga-e-lancada-no-mar-apos-cirurgia-para-reconstruir-casco.html
Terça, dia 02 de agosto de 2011

EUA aprovam anticoncepcional gratuito para mulheres
Medida inclui todos os métodos aprovados, inclusive pílula do dia seguinte.
Regras valerão para novos planos iniciados a partir de agosto de 2012.

As companhias de seguro de saúde norte-americanas terão de oferecer às mulheres anticoncepcionais gratuitos e outros serviços de saúde preventiva de acordo com regras do governo Obama divulgadas nesta segunda-feira (1º), numa decisão histórica apoiada por grupos de planejamento familiar e criticada por grupos conservadores.

As regras do Departamento de Saúde e de Serviços Humanos são parte de uma grande reforma no sistema de saúde do país e seguem em boa medida as recomendações de um grupo de aconselhamento divulgadas no mês passado.

O relatório do Instituto de Medicina dos EUA (IOM, na sigla em inglês), comissionado pelo governo Obama, recomendou que todos os métodos anticoncepcionais aprovados pelos EUA - incluindo a 'pílula do dia seguinte', tomada pouco depois da relação sexual para interromper a gravidez - sejam somados à lista de serviços de saúde preventiva.

As diretrizes entram em vigor nesta segunda-feira (1º), exigindo que as seguradoras proporcionem cobertura gratuita dos serviços de saúde preventiva para mulheres inscritas em todos os planos novos iniciados em agosto de 2012.

Oposição

A recomendação sofreu oposição de grupos conservadores e religiosos que são contra o uso de dinheiro do contribuinte para financiar o controle da natalidade, especialmente a 'pílula do dia seguinte'.

'Essas diretrizes históricas têm como base a ciência e a literatura existente e ajudarão a garantir que as mulheres obtenham os benefícios em saúde preventiva de que necessitam', disse a secretária de Serviços Humanos e de Saúde, Kathleen Sebelius, em um comunicado.

A secretaria adicionou uma emenda permitindo que as instituições religiosas escolham cobrir ou não os serviços de contracepção em seus seguros. A Conferência dos Bispos Católicos dos EUA pediu que a Secretaria de Saúde exclua os anticoncepcionais como um serviço.

A adoção das recomendações é uma vitória para as organizações como o Congresso Americano de Obstetrícia e Ginecologia e Paternidade Planejada.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/eua-aprovam-anticoncepcional-gratuito-para-mulheres.html
Segunda, dia 01 de agosto de 2011

Pesquisadores registram reunião de mais de 400 tubarões-baleia
Encontro na península de Yucatán, no México, é o maior já registrado da espécie, diz estudo.

Um cardume de 420 tubarões-baleia avistado na península de Yucatán, no sudeste do México, em 2009, é a maior concentração da espécie já registrada, de acordo com um estudo.

Os tubarões-baleia são os maiores e mais pesados peixes do mundo - podem chegar a 12 metros de comprimento - e geralmente viajam sozinhos em busca de plânctons e pequenas presas, com as quais se alimentam.

tubarões-baleia Pesquisador faz imagem de exemplar de tubarão-baleia, que pode medir até 12 metros de comprimento (Foto: Mauricio Handler/nationalgeographic.com/news )

No entanto, um número impressionante destes animais foi visto na costa leste de Yucatán, alimentando-se de ovos recém-colocados do peixe Bonito Pintado, abundante na região.

"Ver um grupo tão grande em um só lugar foi fenomenal - chegamos ao ponto em que não era possível navegar o barco pela água sem se preocupar com os peixes. Foi impressionante", disse Mike Maslanka, chefe do Departamento de Ciências da Nutrição do Instituto de Conservação Biológica Smithsonian, nos Estados Unidos, e co-autor do estudo.

Os tubarões foram capturados em imagens aéreas e se espalhavam, em elipse, por uma área de 18 quilômetros quadrados. Mergulhadores também fotografaram os animais de perto, enquanto eles se alimentavam. "Você não percebe quão grandes eles são até nadar ao lado deles", disse Maslanka.

tubarões-baleia1 Vista aérea da reunião de exemplares de tubarão-baleia que ocorreu no México. Cientistas afirmam que 420 animais foram avistados (Foto: Divulgação/Instituto Smithsonian)

Segundo o estudo, a reunião pode mostrar uma mudança nos hábitos dos animais, que costumam aparecer em menor número ao norte da península, onde a água tem mais plâncton.

A pesquisa, divulgada na publicação científica PLoS One, reuniu organizações conservacionistas do México e dos Estados Unidos. A União Internacional pela Conservação da Natureza classificou o tubarão-baleia como espécie "vulnerável", em 2010.

mais informações no site http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/pesquisadores-registram-reuniao-de-mais-de-400-tubaroes-baleia.html
DOAÇÃO E COMBATE

NÃO ESQUEÇA:
DOAÇÃO DE SANGUE E MEDULA ÓSSEA
DOE JÁ

anorexia
ANOREXIA
NÃO PERCA PARA ELA

bullying
BULLYING
NÃO PERCA PARA ELE
Clique aqui para Voltar para a Página Inicial
Página 1
ACREDITE EM DEUS E EM VOCÊ, ESPERAMOS QUE TENHAM GOSTADO